Busca

Mercado das Letras

Impressões dos sentimentos humanos

Autossabotagem: a catarse moderna

Estou cada vez mais me apropriando de uma das facetas humanas que pouco nos são acessíveis num primeiro momento: a construção do “eu posso fazer o que eu quiser”. Veja, acabei de fazer exatamente o que eu disse, já que comecei esse texto – não programado, por sinal – com uma frase que eu normalmente escreveria por último. Então, eu vou me repetir a fim de curtir um pouco esse momento: eu posso fazer o que eu quiser. E acho que você também pode, se observar um pouco o que tem se passado no seu cotidiano.

Continuar lendo “Autossabotagem: a catarse moderna”

Resenha #1 – O Príncipe, de Nicolau Maquiavel

A história humana é marcada por épocas sombrias, repletas de combates sangrentos e registros valiosos que conseguem fazer uma ponte entre o hoje e o ontem. Algumas pessoas são marcadas pela história, positiva ou negativamente, e ainda assim conseguem influenciar gerações pelo mundo. Nicolau Maquiavel, sendo um nome entre tantos mal quistos pela sociedade, deixa como legado “O Príncipe”, uma obra extremamente analítica sobre a soberania e a manutenção de poder.

Continuar lendo “Resenha #1 – O Príncipe, de Nicolau Maquiavel”

Impressões sobre um shopping vazio

O shopping não estava vazio, propriamente dito. O horário que me encontrava do lado de dentro ainda era o comercial, perto de nove da manhã. O que me paralisou foi a parca iluminação que reluzia no vidro do carro esportivo que seria sorteado numa rifa no final do ano. Aquela luz meio azulada, natural, se fez presente também no chão e também em algumas paredes. Isso e a ventilação parada, quase estática, somados à música natalina naquele ambiente vazio de almas fez com que eu estancasse onde estava. A nota única e macabra da música parecia evocar alguma criatura mitológica, como se soubesse que havia mais uma humana para alimentar a fera.

Continuar lendo “Impressões sobre um shopping vazio”

Jogadores passivos: por que grande parcela dos jovens prefere acompanhar youtubers?

Nos poucos anos que me vejo inserida – e até um pouco participante – da aceleração cultural promovida, principalmente, pelo meio digital, o nicho de games nunca esteve mais vívido. Youtubers, usuários comuns do Youtube, conseguem fazer seus nomes e ganhar dinheiro ao jogar videogames, ao interagir com seus inscritos e, no final das contas, ao se divertirem. A paixão é uma característica que se repete entre os jogadores, sendo youtubers ou apenas usuários anônimos. Por que, dentro de uma sociedade portadora de diversos meios de entretenimento, os videogames cativam tanto?

Continuar lendo “Jogadores passivos: por que grande parcela dos jovens prefere acompanhar youtubers?”

Imersão é o Must da Jornada?

Um dos aspectos mais interessantes nas obras de ficção é o poder de imersão que o autor deve ter para transportar o leitor para aquele mundo criado por ele. Esse quesito é, ao mesmo tempo que uma estratégia, o meio de captar as pessoas, já que uma boa imersão gera curiosidade e empatia em relação aos personagens ou assunto tratado. É uma tarefa difícil e ao mesmo tempo trabalhosa, já que exige muito conhecimento e pesquisa. Dentro do pacote ainda tem o talento, mas ele não basta por si só.

Continuar lendo “Imersão é o Must da Jornada?”

Vamos Começar os Trabalhos?

Algumas vezes eu me pergunto o porquê de não conseguirmos produzir o tanto quanto gostaríamos, e até agora só tenho linhas de raciocínio e suposições. Numa noite qualquer, num final de semana pacato, percebi que não havia feito nada que pudesse ser considerado produtivo. Não escrevi, não estudei alguma coisa, não li livro algum… Então, o que eu tinha feito o dia todo?

Continuar lendo “Vamos Começar os Trabalhos?”

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑